Siga o JusTocantins

Black Friday sim, black fraude não

 Lara Gomides - defensora pública do Estado do Tocantins em Gurupi (Foto: Loise Maria) - 25/11/2018

Estamos há semanas da Black Friday (última sexta-feira do mês de novembro, quando a maioria das lojas anuncia grandes promoções) e é preciso que o consumidor esteja bastante atento para não cair em alguma enrascada. Seguindo algumas orientações simples é possível evitar a maior parte dos transtornos que surgem nessa época do ano.

Primeiro é preciso definir antecipadamente o que se pretende comprar: algo que o consumidor esteja precisando ou querendo muito, observando – claro –

 a sua real condição financeira. Estabelecer um orçamento e ter consciência do quanto pretende gastar na data é uma medida que evita, por exemplo, compras por impulso.

Feito isso, comece a pesquisar com antecedência acerca do produto desejado. Assim, será possível identificar se os preços divulgados na Black Friday têm descontos reais, se realmente estão com preço vantajoso ao consumidor ou se são falsos. Não é difícil encontrar um tempo antes ou um tempo depois da data em questão o mesmo produto com preço menor que na época da Black Friday demonstrando, assim, que era só marketing para vender. Anuncia-se que está com 50% de desconto, mas na verdade é “metade do dobro”.

Prefira lojas confiáveis. Opte sempre por comprar nas que você já conhece e naquelas com baixo – ou nenhum – índice de reclamação no Procon ou sites de proteção aos consumidores. A possibilidade de você ter problemas em lojas confiáveis é menor, além de ter maior segurança tanto em relação à qualidade dos produtos, quanto à idoneidade da loja, evitando cair em golpes.

Muito cuidado com e-mails ou propagandas e anúncios em sites. Diuturnamente recebemos promoções por e-mail ou visualizamos através de banners ou pop-up. Porém, impostores que pretendem aplicar golpes também utilizam essas mesmas ferramentas. Portanto, tenha cuidado com compras online que se iniciam em e-mails promocionais, ou através de banners ou pop-up. O mais seguro sempre é entrar direto pelo site oficial da loja e buscar o produto diretamente lá. Além disso, se a compra é virtual, é sempre válido salvar ou imprimir tudo que comprove a compra: oferta, pedido, comprovante de pagamento, contrato e anúncios publicitários.

Vale ressaltar, por fim, que no caso de compras por telefone, catálogo ou por internet (fora do estabelecimento físico), o consumidor tem até sete dias do recebimento do produto para cancelar, isento de qualquer cobrança, incluindo frete.

Se vai consumir, ao menos que seja de forma consciente e segurança.

 

Autor(a): Lara Gomides - defensora pública do Estado do Tocantins em Gurupi

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.

Receba as novidades do portal JusTocantins em sua caixa de entrada. Basta informar um e-mail válido no campo abaixo e cadastre-se:

Copyright © 2018 JusTocantins. Todos os direitos reservados.