Poder Judiciário do Tocantins passa a disponibilizar lixeiras para recolhimento de pilhas e baterias nos seus prédios em Palmas

Em mais uma ação que busca fomentar práticas de sustentabilidade, o Poder Judiciário do Tocantins passou a disponibilizar, a partir do último dia 24 de novembro, em seus prédios localizados em Palmas, as lixeiras para recolhimento de pilhas e baterias, que descartadas junto ao lixo doméstico podem causar prejuízos ao meio ambiente e à saúde humana.

A ação, que é da Diretoria Administrativa do Tribunal de Justiça do Tocantins (DIADM-TJTO) em parceria com a Coordenadoria de Gestão Socioambiental e Responsabilidade Social (Cogersa), contempla os prédios da sede do TJTO, Corregedoria-Geral da Justiça, Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat), NAPSI,  Anexo I,  Fórum de Palmas e Anexo II.

Além disso, outras seis comarcas receberão as lixeiras nos próximos dias, as quais estão com a coleta seletiva em fase de implantação: Araguaína, Alvorada, Gurupi, Porto Nacional, Paraíso e Araguatins.

A desembargadora Ângela Prudente, que preside a Comissão Gestora do Plano de Logística Sustentável do Tribunal de Justiça do Tocantins (PLS-PJTO), ressaltou que TJTO vem desempenhando seu papel ao promover o descarte ambientalmente correto de resíduos perigosos. Ela também afirmou que, ao observar as diretrizes da Resolução CNJ n. 400/2021 e as metas do Plano de Logística Sustentável - PLS, o Poder Judiciário tocantinense contribui para melhoria dos índices para obtenção do Prêmio CNJ de Qualidade e preservação do meio ambiente através de ações simples, mas de grande impacto, como a de instalação de lixeiras identificadas para coletar pilhas e baterias.

“Esse tipo de resíduos apresenta um grande perigo quando descartados incorretamente, são considerados bioacumuladores. Na composição das pilhas são encontrados metais pesados que são extremamente perigosos à saúde humana. Entre os males provocados pela contaminação com metais pesados estão o câncer e as mutações genéticas. A instalação de lixeiras de pilhas e baterias consiste em mais uma etapa do projeto da Coleta Seletiva Solidária, implantado nos prédios administrativos do Tribunal e na Comarca de Palmas”, lembrou a desembargadora. 

Atitude Sustentável

O diretor administrativo do TJTO, Ronilson Pereira Da Silva, pontua que a ação estratégica é de suma importância para a consolidação da política na gestão de resíduos sólidos no Poder Judiciário do Tocantins,  realizada com  a aquisição de contêineres e lixeiras para expansão do projeto de coleta seletiva nas unidades, mediante o credenciamento de associação ou cooperativa de catadores de recicláveis.

“A sua plena adoção não está conectada apenas à execução de normas impostas, mas, também, à importância da necessidade extrema e urgente de conscientização e adoção de novos padrões de comportamento que objetivem o estabelecimento do pensamento e atitude sustentáveis”, destacou.

Perigos

O descarte incorreto de pilhas e baterias pode ser prejudicial tanto para a saúde humana, quanto para o meio ambiente, pois esses materiais são carregados de cádmio, mercúrio, chumbo e seus compostos. Essas substâncias  são altamente tóxicas – algumas até cancerígenas, de efeito cumulativo no organismo. Pilhas e baterias misturadas ao lixo doméstico em aterros comuns contaminam o solo, lençóis de água subterrâneos e lavouras. 

Samir Leão / Fotos: Elias Oliveira Comunicação TJTO - 02/12/2021

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.